texas-moody

Apesar de basear reportagem em documentos, jornalista argentino é condenado a indenizar empresário citado em matéria

Um jornalista argentino foi condenado a pagar uma indenização a um empresário pela publicação de uma matéria publicada em 2002. Baseada em documentos oficiais, a reportagem dizia que o empresário era investigado por evasão fiscal, informou o jornal La Capital. A decisão contra Adrián Murano, atual chefe de reportagem da revista Veintitrés, determina o pagamento de quase 10 mil dólares ao empresário Enrique Estevans por perdas e danos, disse o jornal.

Depois da publicação da matéria, Estevanez decidiu processar tanto à revista La Primera, na qual o texto foi publicado, como o próprio repórter, acrescentou o jornal.

Sergio Szpolski, editor do jornal Tiempo Argentino e vice-presidente do grupo que atualmente emprega Murano, disse através das redes sociais que a Veintitrés “vai aceitar a responsabilidade do pagamento que a inescrupulosa juíza exige” de Murano, publicou o portal Impulso Baires.

A decisão gerou discussão entre jornalistas e cidadãos através de colunas de opinião ou das redes sociais. O Coletivo de Trabalhadores da Imprensa da Argentina (CPT) disse que a sentença é “uma forma de censura indireta” e “uma mordaça econômica”, informou o portal da agência pública de notícias Telam.

Outras organizações e jornalistas decidiram usar o Twitter para apoiar Murano, segundo Tiempo Argentino. A grupo La Naranja de Prensa pediu “ uma ação do sindicato da imprensa em defesa do jornalista”.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos