texas-moody

Governo do México muda política de comunicação de prisões de supostos traficantes

O governo federal do México anunciou uma mudança em sua política de comunicação sobre prisões de supostos criminosos, informou a agência Notimex. A equipe do novo presidente Enrique Peña Nieto acabará com a apresentação dos acusados para a imprensa para evitar uma “apologia ao crime”.

No mandato de Felipe Calderón (2006-2012), costumava-se realizar coletivas de imprensa para apresentar os supostos criminosos, antes mesmo do início do julgamento dos crimes de que eram acusados.

Informaremos com um tom neutro e vamos nos referir às pessoas (supostos criminosos) por seus nomes e sobrenomes, como qualquer outro cidadão", disse o subsecretário de Mídia da Secretaria de Governo (Segob), Eduardo Sánchez Hernández , à agência Notimex.

Além disso, a nova estratégia de comunicação prevê o fim da referência aos criminosos mais procurados por apelidos ou pelas organizações às quais pertecem, acrescentou a Notimex.

“'É sempre muito arriscado expor à imprensa as pessoas detidas, que são supostos criminosos”, opinou o jornalista da revista Proceso, Jenaro Villamil ao Centro Knight para o Jornalismo nas Américas. No entanto, a mudança poderá ficar apenas no discurso. Para ele, a violência no México continua tirando muitas vidas em 2013.

“Calderón queria transformar o crime organizado em um ‘Western’ e Peña Nieto quer transforma-lo em um spot silencioso, para não fazer muito barulho”, opina o professor de jornalismo.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos