texas-moody

Jornalista dissidente cubano cumpre primeiro ano de detenção

Por Maria Hendrischke

Ángel Santiesteban-Prats, o autor cubano do blog crítico “Los hijos que nadie quiso” (disponível em inglês como “The Children Nobody Wanted”), cumpriu o primeiro ano de prisão da sua sentença em 28 de fevereiro, informou Repórteres Sem Fronteiras, pedindo novamente que o escritor seja liberado.

Santiesteban-Prats foi encarcerado em 28 de fevereiro de 2013 depois de ser condenado a cinco anos de prisão por “violações domésticas” e “injúrias”. O Blog Cuba por Dentro comentou que não se apresentou evidência concreta para fundamentar as acusações.

O jornalista dissidente informa que durante o primeiro ano na Prisão 1580 em Havana foi frequentemente maltratado e torturado. E mais, sua advogada, Amelia Rodríguez Cala, foi suspensa pela Associação Nacional de Estudos Jurídicos de Cuba (ONBC) que, segundo Repórteres sem Fronteiras, a impediu de conseguir a liberdade do jornalista.

Santiesteban-Prats disse que as autoridades cubanas começaram a causar problemas para ele em 2009 depois do lançamento do seu blog que abertamente criticava o governo cubano. Santiesteban-Prats segue escrevendo no blog da prisão.

Várias petições tratam da liberdade do jornalista e o declara um preso político segundo a definição de Anistia Internacional.

Santiestevan-Prats e o jornalista José Antonio Torres são os únicos produtores de notícia presos na ilha no momento. Torres está na prisão desde 2011 por espionagem depois que que fez uma reportagem sobre a má administração  do governo em um projeto de construção.

RSF chamou a situação de jornalistas e intelectuais públicos na ilha de "extremamente preocupante.” Cuba ficou em 170 de 180 países no “Índice de Liberdade de Imprensa” da RSF. A posição se deve às tentativas repetidas de intimidar a mídia crítica e independente por meio de detenções temporárias e longas. Censura é também comum, segundo a Sociedade Interamericana da Imprensa (SIP em espanhol).

Para reportar a situação atual de Cuba, a reconhecida jornalista Yoani Sánchez, que é também representante da SIP no país, anunciou no último mês seus planos de criar um jornal digital e independente na ilha.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos