texas-moody

Novo curso gratuito em inglês para jornalistas mulheres e aliados: Aprenda a planejar suas reportagens com segurança

Ser jornalista não é apenas divulgar algumas notícias. Hoje, geralmente significa se proteger e lidar com o assédio e a violência física e online. Ter um plano para isso não é apenas necessário, mas nos faz sentir mais no controle.

O novo curso online gratuito em inglês, “Como Reportar com Segurança: Estratégias para Mulheres Jornalistas e Seus Aliados”, ensinará os alunos a criar um plano de segurança e gerenciar e mitigar os riscos que podem encontrar durante a reportagem. O curso ocorrerá de 3 a 30 de maio de 2021. Veja como se inscrever hoje!

Como Comunicar Banner com Segurança

O Curso Online Massivo e Aberto (MOOC, na sigla em inglês) é organizado pelo Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, em parceria com a International Women's Media Foundation (IWMF) e a Unesco, com financiamento da Swedish Postcode Foundation.

O início deste curso é no dia 3 de maio, que coincide com o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, e que é comemorado globalmente pela UNESCO e várias outras organizações.

“No decorrer de nossas vidas, enfrentamos riscos no dia a dia. Às vezes temos sorte e eles não nos afetam, no entanto, sendo jornalistas, trabalhamos intencionalmente em espaços de maior risco presente”, disse a instrutora do MOOC, Alison Baskerville, instrutora-líder de segurança inclusiva do IWMF. “Ter um plano básico de segurança não eliminará os riscos, mas mitigará o impacto do risco”.

Alguns desses riscos podem se transformar em situações perigosas - como jornalistas detidas, espancadas e ameaçadas e colegas que não conseguem localizá-las ou saber seu último paradeiro, acrescentou.

“O plano de segurança é uma ferramenta de apoio para não inibir o seu trabalho. Significa que você vai analisar todos os aspectos e ter a certeza de que alguém está cuidando de você enquanto você faz o seu trabalho”, explicou o instrutor.

O curso é dividido em quatro módulos semanais organizados da seguinte forma:

  1. A introdução ao planejamento de segurança inclui o desenvolvimento de uma análise de risco e estratégia de comunicação.
  2. Conhecimento da situação e proteção pessoal inclui mitigação de riscos em campo.
  3. O assédio e a violência com preconceito de gênero incluem como se preparar para isso e como apoiar aqueles que passam por essa situação.
  4. Autocuidado e bem-estar mental inclui um plano de autocuidado e redes de apoio de pares.

O curso enfatizará a importância da comunicação com outras equipes enquanto estiver em campo.

“Uma equipe não é apenas uma pessoa que trabalha ao seu lado; é também sobre outros jornalistas. Com o aumento dos ataques contra a imprensa em todo o mundo, não temos apenas a responsabilidade de com nossas reportagens e imagens, mas também de cuidar uns dos outros no que diz respeito à segurança, especialmente entre freelancers”, disse Baskerville. “Ser capaz de se comunicar com alguém enquanto está em uma apuração também lhe dá paz de espírito, pois se algo der errado, alguém saberá e poderá agir. Isso nos deixa mais calmos e nos ajuda a focar no trabalho, em vez de nos preocuparmos com ameaças que talvez não tenhamos considerado."

Infelizmente, algumas jornalistas podem ver as ameaças como parte de seu trabalho.

“Essa forma de pensar foi normalizada, porém, isso está mudando. Quando a primeira mulher foi autorizada a ir para a faculdade, não paramos por aí e dissemos que já era o suficiente. Precisamos continuar a desenvolver esse setor para ser mais justo e relatar totalmente esse assédio. Isso nunca deve ser visto como parte de qualquer trabalho”, disse Baskerville. “Simplesmente não é suficiente permitir que as pessoas se sentem e sofram qualquer forma de assédio com base em sua identidade. Todos nós temos um papel para resolver isso e criar mais espaço e liberdade para todos nós trabalharmos como jornalistas sem os níveis adicionais de sexismo, racismo, transfobia e homofobia."

Todas as mulheres (cis, trans e femmes) e aliados são incentivadas a se inscrever .

"Temos o prazer de fazer parceria com a IWMF e a UNESCO neste curso, que será um grande recurso para mulheres que desejam aprender estruturas para mitigar e gerenciar riscos", disse Mallary Tenore, diretora associada do Centro Knight. "Esperamos que os alunos saiam deste curso se sentindo mais preparados para permanecer protegidos enquanto fazem reportagens em campo e online, e que seus aliados tenham novas ideias sobre como apoiar mulheres jornalistas que estão enfrentando riscos e problemas de segurança."

"A IWMF tem o prazer de continuar a oferecer treinamento de segurança abrangente e acessível por meio do Centro Knight em parceria com a Unesco", disse Elisa Lees Munoz, Diretora Executiva da IWMF. “Cursos que respondem às necessidades e ameaças únicas enfrentadas pelas mulheres online e offline são essenciais para possibilitar um jornalismo justo e diverso. Esperamos que este treinamento dê às mulheres, e a seus aliados na mídia, as habilidades de que precisam para se manter seguras enquanto continuam seu importante trabalho."

"Promover um ambiente seguro para as mulheres jornalistas fazerem seu trabalho é fundamental para proteger a liberdade de expressão e o acesso à informação”, disse Guilherme Canela, chefe da seção de liberdade de expressão e segurança de jornalistas da UNESCO. “Este curso online, que complementa o trabalho existente da UNESCO com os Estados-Membros e organizações de mídia, será um grande espaço para compartilhar ferramentas práticas e conselhos feitos sob medida para mulheres jornalistas sobre como se manter seguras."

Baskerville é fotógrafa de documentários e instrutora de segurança pessoal. Ela é a fundadora da ROAAAR, uma organização inclusiva de treinamento em segurança, e a líder do atual Programa de Treinamento em Segurança da Próxima Geração no IWMF. Como ex-integrante do Exército, grande parte de sua fotografia se concentra nele. Sua experiência militar e carreira como fotógrafa de conflitos a prepararam para fornecer treinamento de segurança para profissionais de mídia.

Baskerville ministrará o curso por meio de videoaulas e entrevistas com palestrantes convidados, além de apoiar leituras e reimpressões. Os alunos também participarão de fóruns de discussão e responderão a questionários semanais.

Como todos os MOOCs do Knight Center, o curso é assíncrono, o que significa que os participantes podem realizá-lo nos dias e horários que melhor lhes convier. No entanto, são recomendados prazos semanais para a conclusão das atividades, a fim de não se atrasar.

Os alunos que concluírem com sucesso os requisitos do curso têm a opção de pagar uma taxa administrativa de US$ 30 para receber um certificado de conclusão em formato PDF. O Centro Knight avaliará os casos de alunos que precisam de isenção dessa taxa. Nenhum crédito acadêmico formal está vinculado ao certificado.

Este é o terceiro curso online oferecido pelo Centro Knight com o IWMF. Colaborações anteriores incluem o MOOC em espanhol "Risco e segurança no jornalismo na América Latina: etapas práticas para a autoproteção" , oferecido em 2018, e o MOOC em inglês "Assédio online: estratégias para a defesa de jornalistas" , oferecido no ano passado. Ambos estão disponíveis como um curso autodirigido na plataforma JournalismCourses.org.

Aprenda a melhor maneira de se proteger física, mental e emocionalmente ao reportar em campo e como ser um aliado das jornalistas que enfrentam riscos e violência no trabalho. Encontre mais informações aqui e instruções sobre como se inscrever neste curso de inglês online gratuito hoje.

Mais artigos