texas-moody

Organizações pedem ao governo do México transparência e limite nos gastos com publicidade

As organizações Artigo 19 e Fundar, do México, pedem um limite para os gastos do governo com comunicação e publicidade, já que o Orçamento de 2012 está sendo discutido na Câmara dos Deputados, segundo o site Avance MX.

“O gasto com publicidade oficial é excessivo, utilizado de forma discriminatória e sem critérios claros para sua distribuição”, argumenta a Fundar em sua página na internet.

O site Publicidade Oficial registra vários casos de publicações de maior circulação, como o jornal a.m., do estado de Guanajuato, o Diario de Yucatán e as revistas Contralínea e Proceso, assim como a Radio Bemba, que deixaram de receber publicidade oficial como castigo por sua cobertura crítica a governos estatais e ao federal, enquanto outras publicações de menor circulação recebem uma fatia maior.

As duas organizações ressaltam que, desde 2007, a Presidência do México gastou o dobre do valor aprovado pelos parlamentares, de acordo com a revista etcétera.

Justine Dupuy, investigadora da Fundar, e Omar Rábago, da Artigo 19, propõem que o governo federal limite seu gasto publicitário a menos de 0.03% do orçamento de 2012, segundo a Letra S.

Atualmente, de acordo com as organizações, o gasto publicitário do governo federal é dez vezes maior do que o com o programa de redução da mortalidade materna.

Mais artigos