texas-moody

Corte chilena rejeita recurso de amparo a jornalista que foi assediado pela polícia

Na quarta-feira, 4 de abril, a Corte de Apelações de Coyhaique, Chile, rejeitou o recurso de amparo a um jornalista, solicitado por um senador e um advogado defensor dos direitos humanos, depois que a Polícia de Investigações (PDI) tentou confiscar vídeos gravados pelo profissional durante as manifestações na região de Aysén, informou a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF). RSF disse que considerava a decisão da Corte “perigosa e inoportuna”.

“A sentença determina que os efetivos policiais atuaram em cumprimento a uma ordem do Ministério Público” contra o jornalista e diretor do Canal 40 TV Aysén, Samuel Chong Rivera, o que significa que “não há arbitrariedade no trâmite”, segundo reportou a Radio Bío-Bío.

Isso quer dizer que o jornalista terá que entregar o material que gravou e pode ser preso por desacato a uma ordem judicial se não o fizer, explicou Chong, de acordo com o Jornal de Aysén.

A situação contra os jornalistas continua piorando no Chile, que caiu 47 posições na última Classificação Mundial da Liberdade de Imprensa 2011-2012 apresentada pela RSF no início deste ano. Em março, RSF publicou um informe expressando sua preocupação pela violência policial contra jornalistas no Chile, que continua ocurrendo durante as várias manifestações no país.

Mais artigos