texas-moody

Editor de jornal equatoriano considera processar o presidente do país, que o ameaçou na TV

Por Liliana Honorato

O editor responsável do jornal equatoriano El Universo anunciou que pensa em processar o presidente do país, Rafael Correa, por seus recentes ataques contra ele - os quais “colocam em risco sua integridade e a de sua família”, informaram as agências AFP e EFE.

O jornalista Gustavo Cortez anunciou seus planos em encontro com o Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ) e disse que planeja apresentar seu caso à imprensa internacional, destacando "a deterioração da liberdade de expressão no Equador desde a posse do presidente Correa", em 2007,
 acrescentou a AFP.

No dia 16 de junho, durante seu programa de TV, o Enlace Ciudadano, o presidente do Equador mostrou uma foto de Cortez, chamou o jornalista de “sinistro” e disse que ele "manipula tudo”. Além disso, ameaçou divulgar imagens do profissional, que, para ele, "faz qualquer coisa por migalhas", explicou a Fundamedios.

Uma semana depois, Correa voltou a mostrar uma foto de Cortez em seu programa pediu aos cidadãos que lembrassem daquele rosto como “um claro exemplo da imprensa ruim do país”, informou o CPJ.

Segundo o jornal mexicano El Universal, Cortez avalia se valeria a pena processar o presidente. Em fevereiro deste ano, Correa comemorou sua vitória sobre o El Universo, cujos donos foram condenados à prisão e ao pagamento de uma multa milionária.

No fim do mesmo mês, porém, o presidente anunciou que perdoaria o El Universo e os autores do livro “O Grande Irmão”, sobre supostos atos de nepotismo de Correa. Em abril, a Justiça equatoriana negou o perdão do presidente no caso do livro. Dias depois, no entanto, a Justiça arquivou esse mesmo processo.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos