texas-moody

Fotógrafos ibero-americanos reconhecidos com prêmio POY Latam contam histórias de suas comunidades e daquelas ao redor do mundo

Eles retratam a migração da América Central para os Estados Unidos, dançarinos em um festival indígena no Vale do Sinakara, no Peru, o cotidiano dos Centennials na Colômbia, mulheres no sistema carcerário da Venezuela, ameaças a ruínas antigas à medida que a cidade de Lima se expande e envenenamento ambiental e seus efeitos sobre os chilenos.

As fotos de jornalistas de América Latina, Espanha e Portugal foram reconhecidas este ano durante o POY Latam Awards 2019, prêmio fundado em 2011 por Loup Langton e Pablo Corral Vega e realizado a cada dois anos.

“Essa foi nossa missão em 2011, realmente ajudar a dar a fotógrafos e contadores de histórias visuais latino-americanos a capacidade de contar suas próprias histórias sobre seus próprios países, seus próprios povos e suas próprias comunidades e colocar essas histórias em um cenário mundial”, disse Langton ao Centro Knight.

Langton, professor da Western Kentucky University, disse que há mais interesse na fotografia latino-americana em todo o mundo hoje, bem como uma forte comunidade de contadores de histórias visuais na região que competem entre si e se apoiam mutuamente.

The first place winners for the 2019 POY Latam awards come from across Latin America, Spain, Portugal, France and the U.S. (Screenshot)

The first place winners for the 2019 POY Latam awards come from across Latin America, Spain, Portugal, France and the U.S. (Screenshot)

Na edição deste ano, o fotógrafo Felipe Dana (Brasil), da Associated Press, ganhou o prêmio de Melhor Fotógrafo Ibero-Americano do Ano.

As fotos no portfólio vencedor de Dana levam o espectador do Oriente Médio para a Europa Oriental, América do Sul e África. Elas documentam protestos na Faixa de Gaza, um acampamento de jovens nacionalistas ucranianos, a luta contra o Estado Islâmico no Iraque e na Síria, a pobreza nas favelas do Rio de Janeiro e as famílias de migrantes senegaleses desaparecidos que podem ter se perdido no mar.

A seleção dos vencedores aconteceu entre 6 e 10 de maio em Quito, Equador, e foi transmitida ao vivo no Facebook. Cerca de 28 mil imagens de 1.278 fotógrafos que se inscreveram em 19 categorias foram consideradas, segundo POY Latam.

O júri foi formado por Sarah Leen, fotógrafa norte-americana e diretora de fotografia da National Geographic; Maya Goded, fotógrafa e documentarista mexicana; Francois Coco Laso, fotógrafo equatoriano; Adriana Zehbrauskas, fotógrafa brasileira; e o fotógrafo peruano Musuk Nolte. O cineasta equatoriano Sebastián Cordero, a fotojornalista e documentarista norte-americana Janet Jarman e a fotógrafa mexicana Yolanda Escobar participaram das categorias multimídia.

Duas novas categorias foram incluídas este ano: Movimentos Migratórios e A Força das Mulheres. Goded comentou sobre o pequeno número de trabalhos apresentados nessas categorias e convidou mais pessoas a participar, de acordo com um comunicado da POY Latam.

“Faltou mais participação na categoria de mulheres fotografando mulheres, convido que imaginemos mais histórias e como contá-las por meio da fotografia para tornar visível o novo momento que as mulheres estão vivendo na América Latina”, disse ela.

Os prêmios POY Latam foram apoiados pela MuNA Equador Uribe e Schwarzkopf, coletivo fotográfico SolipsisArt, Associação Equatoriana de Fotógrafos, Paradocs Foto, Fotógrafa Latinoamericanas, 3 Láser e Telconet Latam.

Todos os vencedores do primeiro lugar do Prêmio POY Latam de 2019 estão listados abaixo com links para seu trabalho:

Vida cotidiana (individual): Santi Palacios (Espanha)

Vida cotidiana (série): Jorge Panchoaga (Colômbia)

Notícias (individual): Guillermo Arias (México)

Notícias (série): Felipe Dana (Brasil)

Retrato (individual): Gisela Volá (Argentina)

Retrato (série): Rodrigo Abd (Argentina)

Esporte (individual): Diego Pallero (Equador)

Esporte (série): Eduardo Leal (Portugal)

Jovens se expressando (série): Charlie Cordero (Colômbia)

Movimentos migratórios (série): Jeoffrey Guillemard (França)

Força das mulheres (série): Ana María Arévalo Gosen (Venezuela)

Prêmio Uribe e Schwarzkopf Award do Futuro das Cidades: Rodrigo Abd (Argentina)

Prêmio Nosso Olhar: Diego Moreno (México)

Prêmio Carolina Hidalgo Vivar de Meio Ambiente (série): Pablo Sanhueza (Chile)

Fotógrafo Ibero-Americano do Ano: Felipe Dana (Brasil)

Curta multimídia: Santiago Barreiro Ravera (Uruguai)

Longa multimídia: Séverine Sajous & Patricia Sánchez Mora

Multimídia Interativo: Lalo de Almeida (Brasil)

Livro: La Batea, Elizabeth Ferry e Stephen Ferry (EUA)

Mais artigos