texas-moody

Grupos peruanos de mídia se unem para lançar plataforma de denúncia Perúleaks

  • Por Guest
  • 30 março, 2016

Por Giovana Sanchez

Oito grupos de mídia e organizaçoões não-governamentais peruanas se juntaram à atual proliferação de plataformas de vazamento de informação e lançaram um site que permite a cidadãos peruanos enviar informações para jornalistas.

Peruleaks, uma “plataforma independente de denúncia cidadã e transparente”, foi lançada na noite desta terça-feira, dia 29, em Lima. O site prevê um ambiente seguro para envio de evidências de crimes e infrações para serem investigados pelos meios de comunicação e organizações civis participantes.

Segundo o diretor de jornalismo David Hidalgo, do Ojo Público, um dos veículos participantes, a iniciativa é “um interessante esforço para promover a segurança digital dos jornalistas e de suas potenciais fontes de informação, sobre temas relevantes relacionados à corrupção, crime organizado, etc.” 

De acordo com o site do projeto, "avançadas tecnologias" garantem que a denúncia seja anônima e protegem a fonte e os investigadores.

Quem envia a informação ao site por escolher que veículo a receberá. O Peruleaks é composto por pelo portal de notícias Ojo Público, o site investigativo Convoca, a revista Poder, a plataforma de jornalismo online Lamula, o site de notícias Útero, o jornal La República, e as organizaçoões civis Projeto PODER Hiperderecho disse ele em entrevista ao Knight Center.

Assim que uma informação é enviada, os jornalistas e pesquisadores das ONGs envolvidas confirmam sua veracidade e, se for o caso, a publicam como notícia. 

O projeto é parte da rede internacional Associated Whistleblowing Press, organização anticorrupção e pró-direitos humanos com sede na Bélgica.

Segundo Hidalgo, em entrevista ao Centro Knight, Peruleaks é a versão peruana do Mexicoleaks, “plataforma que tem facilitado importantes vazamentos que levaram a investigações jornalísticas importantes.”

A partir do Méxicoleaks, empresas de mídia mexicanas publicaram reportagens sobre a suposta destruição de sítios arqueológicos, gastos públicos e contratos do governo, entro outras.

Méxicoleaks foi uma das cinco organizações da América Latina que entraram na lista de finalistas de Prêmios de Liberdade de Expressão 2016 da organização Index on Censorship (Índice de censura) na categoria de ativismo digital. 

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos