texas-moody

Rádios comunitárias em Oaxaca, México, denunciam repressão por informar sobre oposição a parque eólico

A organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) denunciou que empresas transnacionais e o governo local agridem e assediam rádios comunitárias em Oaxaca, México, que se opõem à construção de um parque eólico no Istmo de Tehuantepec.

Na quinta-feira, 4 de abril, agentes da polícia prenderam e agrediram o jornalista Carlos Sánchez Martínez, da Radio Totopo, que ainda se encontra detido, segundo a RSF.

jornalista também foi ferido em 26 de março enquanto cobria um enfrentamento entre policiais estaduais e indígenas que formavam uma barricada para impedir a construção do parque eólico Fuerza y Energía Bi Hioxho, propriedade da empresa espanhola Gas Natural Fenosa, noticiou o jornal La Jornada. Em um comunicado, Radio Totopo denunciou que desconhecidos cortaram o serviço elétrico da estação de rádio e roubaram o medidor. O jornalista Sánchez afirma que também recebeu ameaças de morte em razão do seu trabalho.

A Assembleia Popular do Povo Juchiteco e o Congresso Nacional de Comunicação Indígena manifestaram apoio à Radio Totopo e denunciaram que testemunhas apontaram os agentes da Marinha Nacional como as pessoas que invadiram as instalações da emissora de rádio para roubar seus equipamentos sem apresentar um mandado de busca e apreensão, de acordo com a agência Pulsar.

Segundo RSF, as autoridades também assediaram outros meios de comunicação que informam sobre a oposição das comunidades indígenas ao projeto eólico. A comunidade zapoteca se opõe ao projeto porque ele invade terras de cultivo, acrescentou a Pulsar.

Outros casos foram reportados em 20 de março de 2013, quando o jornalista Filiberto Vincente Aquino, da Radio Xadani, recebeu ameaças de morte após participar de uma conferência sobre a oposição ao parque eólico. Um dia depois, a polícia municipal de San Mateo del Mar deteve por algumas horas um grupo de seis jornalistas, incluindo um repórter do jornal La Jornada.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos