texas-moody

Revista equatoriana que sofreu embargo do governo abre processo por danos morais contra presidente do país

Por Liliana Honorato

A revista equatoriana Vanguardia entrou com um processo por danos morais contra o presidente do país, Rafael Correa, e pedirá uma indenização de dois milhões de dólares, além dos custos processuais e dos honorários do advogado, informaram a agência de notícias Europa Press e o diário El Comercio.

Segundo o Instituto Imprensa e Sociedade (IPYS), a “revista Vanguardia é um dos veículos que mais critica o atual governo equatoriano”. Em julho, a revista havia sofrido um segundo embargo por conta de dívidas trabalhistas. O Ministério do Trabalho do Equador apreenderam computadores, móveis e outros equipamentos da publicação.

A Vanguardia argumenta que a indenização é para reparar o “dano à imagem e ao prestígio da revista e de sócios”, acrescentou o CRE Satelital.

Em seu perfil no cuenta de Twitter, o presidente Correa disse que o processo era um "favor que nós faz" a publicação, por demostrar sua moral dúbia, acrescentou a Agencia Pública de Noticias del Ecuador y Suramérica (ANDES).

O presidente Correa é conhecido por manter uma complicada relação com a imprensa. O fechamento da revista Vanguardia foi apenas um dos vários outros já registrados em seu governo.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos