texas-moody

SIP alerta para aumento da repressão contra jornalistas de oposição em Cuba

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) alertou, em comunicado divulgado no dia 27 de junho, para uma nova onda de prisões e ameaças contra jornalistas cubanos.

A agência independente Hablemos Press denunciou, em um vídeo no YouTube, a recorrência de detenções de seus profissionais. O fotógrafo Gerardo Younel Ávila já foi preso duas vezes em 2012, o editor Ernesto Aquino foi intimado pelas autoridades e outros dois jornalistas receberam ameaças de prisão nos últimos dois meses.

Recentemente, o jornalista Guillermo Fariñas denunciou ter sido agredido por policiais e o o blogueiro Alexis Ferrer, que é cubano mas vive no exterior, foi expulso da ilha.

O diretor da agência, Roberto de Jesús Guerra Pérez, suspeitas que as represálias tenham aumentado por conta da publicação e distribuição de um novo boletim informativo, explica a SIP. Pérez, porém, garante que sua equipe continuará trabalhando “para derrubar o muro de silêncio erguido pelo governo para continuar censurando o povo cubano”.

Organizações internacionais também já denunciaram um aumento da repressão aos opositores do governo, especialmente a integrantes da associação Damas de Branco e a outros grupos de jornalistas e blogueiros independentes, acrescentou a SIP.

Ano após ano, Cuba aparece na lista de países onde há mais censura, segundo o Comitê para a Proteção dos Jornalistas. Desde 2007, 19 jornalistas cubanos foram obrigados a se exilar.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos