texas-moody

The Guardian afirma ter documentos que comprovam compra de cobertura favorável a candidato à Presidência do México na Televisa

O jornal britânico The Guardian afirma ter documentos que comprovam a que um candidato à Presidência do México comprou cobertura favorável na rede de TV mais importante do país, a Televisa.

Segundo a publicação, os documentos comprovam a manipulação de informações na Televisa para favorecer o candidato do PRI, Enrique Peña Nieto. Entre os documentos haveria uma lista de tarifas cobradas pela Televisa para melhorar a imagem de Peña Nieto durante o período em que ele governou o Estado de México, assim como atacar o candidato da esquerda, Andrés Manuel López Obrador, que já foi prefeito da Cidade do México e candidato à Presidência em 2006.

Porém, o jornal afirma não ser possível determinar a autenticidade dos documentos, vazados por um ex-funcionário da Televisa. No entanto, tudo indica que os nomes, datas e fatos mencionados são reais, explicou o La Jornada.

candidato atacou a qualidade do jornalismo do diário mais respeitado do Reino Unido, acrescentou o Sin Embargo.

Em maio, o jornal mexicano Reforma havia divulgado recibos de supostos pagamentos feitos a jornalistas pelo candidato do PRI, partido que já governou o México por 71 anos. Entre os profissionais, estaria um conhecido apresentador da Televisa, Joaquín López Dóriga. Tanto a Radio Fórmula como o candidato argumentaram se tratar de inserções comerciais.

De acordo com o diário britânico, um dos documentos é uma apresentação em PowerPoint que destacaria o objetivo de impedir que López Obrador ganhasse a eleição de 2006.

Em carta, o Grupo Televisa negou que os documentos sejam verdadeiros.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos