texas-moody

Deputado chileno quer proibir repórteres de insistir em perguntas que o entrevistado não quer responder

Se, no mundo todo, celebridades são perseguidas por jornalistas ávidos por informações sobre namoros ou procedimentos estéticos, entre outros temas, um jovem deputado chileno quer proibir os repórteres de seu país de fazerem perguntas "de forma imprudente, invasiva e persecutória" aos entrevistados, informou o La Tercera. A proposta, inspirada no caso da ex-Miss Universo Cecilia Bolocco, foi criticada não só pela imprensa, como por políticos do próprio partido dele.

Gaspar Rivas, do conservador partido Renovación Nacional, apresentou no dia 21 de julho um projeto para modificar a lei de "Liberdades de Opinião e Informação e Exercício do Jornalismo". A proposta prevê punição para o repórter que insistir em perguntas que o entrevistado não quer responder, acrescentou o emol.com.

A punição seria determinada por um juiz, que poderia aplicar multas entre 83 e 250 dólares, acrescentou o La Nación.

A proposta logo se tornou o assunto mais comentado no Twitter no Chile, por meio da hashtag #preguntahostigosa.

Para o presidente do Colégio de Jornalistas, Marcelo Castillo, o objetivo do projeto não está claro e, de qualquer forma, a proposta "constitui um atentado à liberdade de expressão e informação", disse ele, segundo a EFE.

O líder dos deputados do Renovación Nacional, Pedro Browne, afirmou que o partido não apoia a proposta, considerada um "erro".

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos