texas-moody

Ecuador Verifica: meios, universidades e organizações se unem para combater desinformação nas eleições

O projeto Ecuador Verifica, uma coalizão de 15 meios de comunicação, seis organizações da sociedade civil e sete universidades, voltada para combater a desinformação durante as eleições presidenciais de 2021 no Equador, foi lançado nesta quinta-feira, 10 de setembro. A campanha eleitoral começa em dezembro deste ano

A iniciativa, segundo seus organizadores, é inédita no Equador e se inspira em experiências similares na América Latina, como o Verificado, no México, e o Projeto Comprova, no Brasil. Para César Ricaurte, diretor executivo do Fundamedios, que faz parte do grupo, a desinformação é um fenômeno complexo, que só pode ser enfrentado por esforços coletivos, unindo diversos setores da sociedade. 

"É um grave problema que afeta as instituições democráticas não só no Equador e na América Latina, é um fenômeno de escala global, por isso a ONU destacou que o combate da desinformação deve ser uma das prioridades no fortalecimento das democracias. Nesse contexto surge a coalizão Ecuador Verifica. É um coletivo para verificar a informação e o discurso público no contexto eleitoral", disse Ricaurte, no lançamento do projeto.  

Segundo ele, a desinformação se tornou, infelizmente, uma "ferramenta da luta política" e tem o potencial de aumentar a violência durante as eleições no Equador.

O projeto tem três objetivos principais, de acordo com María Gabriela Alvear, cofundadora da organização Diálogo Diverso, que também faz parte do grupo.   

Logo do Ecuador Verifica

Logo do projeto Ecuador Verifica

Primeiro, a coalizão pretende identificar redes de desinformação, ou seja, além de detectar conteúdo falso, o grupo vai buscar a origem do material e relatar isso para o público, por meio de canais digitais. O segundo objetivo é verificar o discurso público, de políticos e candidatos, para contribuir com a difusão de informação correta, precisa e relevante para o debate eleitoral. 

Em terceiro lugar, a coalizão quer promover a alfabetização digital no país, para que os cidadãos tenham as ferramentas para distinguir o que é verdadeiro e o que é falso na internet.  

"As atividades que a coalizão Ecuador Verifica vai fazer, no marco deste terceiro objetivo, incluem [...] gerar e difundir conteúdo que eduque as pessoas sobre a responsabilidade no consumo de informação, e gerar e difundir conteúdo que esteja vinculado à educação cidadã no marco dos processos eleitorais", disse Alvear, durante a apresentação do projeto. 

Diego Cazar Baquero, editor da revista digital La Barra Espaciadora, que também é membro do grupo, disse que a iniciativa é muito importante para um país como o Equador, "tão inclinado a um conflito permanente no que se refere à política". 

"Há casos e antecedentes, na América Latina e no mundo, de processos eleitorais que foram viciados por exércitos de desinformadores que, por meio das redes sociais, conseguiram inocular mensagens que têm um fim político em particular. Nós temos que estar preparados, como cidadãos, para identificar esse tipo de mensagem e evitar que isso também ocorra em um Equador polarizado, que está vivendo um conflito político e no qual a participação cidadã ficou muito reduzida nos últimos anos", afirmou Cazar.

Segundo Cazar, a internet tem sido usada pela classe política para manipular a decisão dos cidadãos, e a sociedade precisa assumir a responsabilidade coletiva da alfabetização digital. Projetos como o Ecuador Verifica, afirma ele, são necessários para preservar a "saúde democrática" dos países.

O jornalista disse ainda que o grupo não está fechado e que novos membros podem entrar na coalizão, que começa em setembro e segue até abril de 2021. O Ecuador Verifica teve um apoio inicial do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e vão contar com um fundo da organização National Democratic Institute (NDI). O portal do projeto deve ser lançado em breve, mas, enquanto isso, é possível acompanhar a coalizão pelas redes sociais e site do Fundamedios

Participam atualmente da coalizão os seguintes meios de comunicação: AFP, Antena 7 Radio y Tv On Line, Criterios, Ecuavisa, El Universo, GK, Gráficos Nacionales, La Barra Espaciadora, Medios Públicos del Ecuador, Plan V, Primicias, Radio Centro, UDLA Channel, Vistazo, e Wambra Medio Digital Comunitario.

Também fazem parte do grupo oito universidades: Universidad de las Américas (UDLA), Universidad del Azuay, Universidad Católica de Guayaquil, Universidad Casa Grande, Universidad de Los Hemisferios, Universidad Internacional Del Ecuador (UIDE), Universidad Internacional de La Rioja (UNIR) e Universidad Técnica Particular de Loja (UTPL).

Os membros da sociedade civil são: Chicas Poderosas Ecuador, Diálogo Diverso, Fundación CAJE, Fundamedios, Fundación Periodistas Sin Cadenas, Observatorio de Derechos y Justicia (ODJ). 

Mais artigos