texas-moody

Funcionário de jornal digital é assassinado em Honduras

Outro funcionário de um jornal digital de Honduras foi assassinado a tiros, no dia 10 de agosto, informou o Centro de Reportes Informativos de Guatemala (Cerigua).

José Noel Canales trabalhava na área de monitoramento do jornal digital Hondudiario e foi assassinado enquanto dirigia para o trabalho, no estado de Francisco Morazán, um dos mais violentos do país, segundo o diário Proceso.

A poucos metros da casa do profissional, os criminosos aguardavam Canales em um táxi para atacar, explicou o La Tribuna.

Até o momento, as autoridades desconhecem as causas e os responsáveis pelo assassinato do jornalista, morto com tiros na cabeça e em outras partes do corpo, informou o diário El Heraldo.

O Hondudiario denunciou que, desde 2009, as empresas afiliadas Hondudiario e Servicios Profesionales de Comunicación (Seproc) tem sido alvo de ameaças e ataques armados, obrigando a equipe a mudar suas rotinas. “Que podemos pedir?, Que podemos fazer? Que Deus nos proteja a todos”, acrescentou a publicação.

O Comissariado Nacional de Direitos Humanos registra o assassinato de 31 comunicadores em Honduras, sendo que 24 deles ocorreram desde 2010, de acordo com o La Prensa.
Todos os casos permanecem impunes e, frequentemente, as autoridades atribuem os crimes ao alto nível de violência generalizada que afeta Honduras, país com a mais taxa de homicídios do mundo.

A morte de Canales coincidiu com a conferência Segurança, Proteção e Solidariedade para a Liberdade de Expressão, em Honduras, o segundo país com o maior número de ataques contra a imprensa nas Américas. Para mais informações, consulte o mapa do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas sobre os ataques contra a imprensa na América Central.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos