texas-moody

Governo da Venezuela quer ampliar acesso à internet, não limitá-lo, diz ministro

O ministro de Informação e Comunicação da Venezuela, Andrés Izarra, afirmou, durante um evento realizado em Caracas, no domingo 4 de setembro de 2011, que o governo quer ampliar cada vez mais o acesso da população à internet, não limitá-lo, informou o jornal oficial Correo del Orinoco. Ele citou números para negar que, na administração de Hugo Chávez, "haja algum tipo de repressão ao livre fluxo de idéias", acrescentou a EFE. Segundo Izarra, o acesso à rede cresceu 1000% entre 2000 e 2010.

"Isso acontece em um país onde se supunha que a internet seria censurada, de acordo com o bombardeio de mentiras dos meios de comunicação internacionais", afirmou o ministro, citado pela Radio Nacional de Venezuela.

Ao participar do Fórum sobre as Tecnologias de Informação e Comunicação na Luta Contra-Hegemônica (sobre a suposta manipulação da mídia no caso da Líbia), Izarra disse ainda que a popularidade do presidente no Twitter, com mais de 2 milhões de seguidores, é uma prova da "democracia comunicacional" existente na Venezuela, de acordo com a Radio Mundial.

“Desde que criamos a chavezcandanga [conta do presidente no Twitter], o número de venezuelanos no Twitter cresceu de forma exponencial”, garantiu o ministro, noticiou o Noticia Al Dia.

Recentemente, a Freedom House incluiu a Venezuela na lista de países onde a liberdade na internet está em risco. Em março, a Repórteres Sem Fronteiras também colocou o país entre os "inimigos da internet". Para mais informações sobre liberdade de expressão nas redes sociais, veja esta conta do Centro Knight no Twitter.

Mais artigos