texas-moody

Jornalista que testemunhava em investigação sobre laços entre políticos e paramilitares é assassinado na Colômbia

O jornalista independente Luis Eduardo Gómez, que era testemunha do Ministério Público em investigações sobre vínculos entre políticos e paramilitares, foi assassinado por criminosos em uma moto, na quinta-feira 30 de junho, em Arboletes, Antioquia, Colômbia, informaram o El Espectador e a Fundação Para a Liberdade de Imprensa (FLIP).

Gómez, que tinha 70 anos e era colaborador dos jornais El Heraldo de Urabá e Urabá al día, é a segunda testemunha do caso assassinada na última semana e a quarta em oito meses, informou o El Tiempo. No dia 27 de junho, foi noticiada a morte de Vicente Botero Arbeláez, que também colaborava com o MP. Outras cinco testemunhas estão desaparecidas, acrescentou o El Heraldo.

filho de Gómez também foi assassinado há dois anos, em circunstâncias que as autoridades ainda não esclareceram, segundo a Caracol Radio. De acordo com a emissora, o jornalista investigava a morte do filho e o manejo dos recursos públicos pela prefeitura.

O El Colombiano afirmou que o jornalista não havia reclamado de ameaças.

No entanto, o Semana.com salientou que 55 jornalistas foram vítimas de ameaças no primeiro semestre de 2011 na Colômbia. Em todo o ano passado, foram registradas 57, o que mostra a deterioração da segurança dos profissionais de imprensa no país.

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) condenou o crime e pediu uma investigação rápida, para que o caso não fique impune.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

More Articles