texas-moody

Jornalistas discutirão o papel das redes sociais em webinário com Sandra Crucianelli

Sandra Crucianelli acredita que os jornalistas que usam a mídia social precisam interagir melhor com seus leitores, em vez de agir como porta-vozes de suas empresas. "Tem sido provado que as pessoas preferem falar com outras pessoas e não marcas", disse a repórter e editora argentina, que conduzirá o seminário online (webinário) "O Papel do Jornalista com Mídias Sociais.

O curso, que é organizado pelo Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, será ministrado em espanhol em 18 de agosto, das 14h às 16h (horário de Brasília). As inscrições já estão abertas e os jornalistas têm até as 11h do dia 18 para se inscrever. A inscrição pode ser feita aqui.

Na sessão de duas horas, Crucianelli irá oferecer dicas sobre como usar redes sociais como Twitter, Facebook e Google+. "Muitos meios de comunicação estão presentes no Facebook, mas a coisa mais importante não é o número de pessoas que gostam de sua página, mas sim a interação que existe entre os membros dessa página", disse ela. "Hoje é a presença do jornalista que é preferível para a marca".

Crucianelli acredita que os jornalistas devem "mostrar personalidade" em suas páginas de rede social, ela aconselha que adotem um "tom respeitoso, um tom profissional," ao postar ou comentar em seus sites. "Em uma rede social você tem que se comportar como se estivesse em uma praça pública conversando com as pessoas".

Ela também sugere que os repórteres mantenham suas páginas pessoais separadas de suas públicas. "A vida privada de um jornalista deve estar de um lado e a profissional do outro ", disse ela.

Crucianelli, que é uma jornalista investigativa premiada, também apresenta um programa de televisão em Bahia Blanca, Argentina. Ela é fundadora e editora-chefe da SoloLocal.Info, um site de jornalismo digital. Ela ensina para várias organizações internacionais, incluindo o Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, o Centro de Mídia Internacional Universidade Internacional da Flórida, e o programa da Organização dos Estados Americanos "Trust for the Americas". Seu e-book, “Herramientas Digitales Para Periodistas” (Ferramentas digitais para Jornalistas), foi baixado mais de 45.000 vezes em Espanhol e Português.

Durante o webinário ela vai mostrar aos jornalistas como usarem ferramentas online para proteger sua reputação, como usar hashtags e como usar Twitter, Facebook e Google para coletar notícias.

Ela conta como uma vez notou uma coluna de fumaça sobre a cidade durante uma filmagem ao vivo. Imediatamente, ela tuitou perguntando se alguém sabia sobre a fumaça. "Em cinco segundos, uma pessoa respondeu que uma loja de tintas estava queimando em tal e tal lugar e eu tive a minha resposta rapidamente!"

No entanto, ela adverte que os jornalistas precisam ter cuidado antes de confiar em fontes que conhecem online. "Eu investigo a pessoa antes de assumir suas informações", explicou ela. "Você tem que verificar as informações. Isso é básico no jornalismo".

E embora Crucianelli preveja mostrar aos jornalistas como usar os "desenvolvimentos mais recentes em redes de mídia social", ela também espera que eles percebam que "o Facebook e o Twitter podem ser plataformas de debate, mas não para lutar", disse ela. "Este não é um ringue de boxe."

Os interessados em se inscrever no seminário online da Crucianelli podem fazê-lo aqui até as 11h (horário de Brasíília) do dia 18 de agosto. Será cobrada uma taxa administrativa de 30 dólares.

O Centro Knight foi fundado pelo professor Rosental Alves em agosto de 2002 com uma doação de 2 milhões de dólares da Fundação John S. e James L. Knight com o objetivo de ajudar jornalistas da América Latina e do Caribe a aumentar a qualidade do jornalismo em seus países. O Centro também recebeu contribuições de outros financiadores como as Fundações Open Society e a Universidade do Texas.

Mais artigos