texas-moody

Sindicato relata situações de risco vividas por jornalistas no interior de São Paulo

O Sindicato de Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo denunciou casos em que jornalistas de cidades do interior de São Paulo foram ameaçados ou impedidos de exercer a profissão neste início do ano, em nota publicada na quarta-feira, 13 de fevereiro.

A jornalista Elaine Trevisan e o repórter cinematográfico Augusto Pires foram agredidos verbalmente por membros da atual administração municipal e pelo ex-prefeito de Catanduva. Em Araraquara, o fotojornalista Raphael Cruz Pena foi impedido de realizar a cobertura de um evento no local pelo presidente da Câmara Municipal, que afirmou que só podiam acessar o plenário os jornalistas da “mídia oficial”.

O Sindicato também citou a ameaça de morte recebida pelo jornalista Rodrigo Lima, do Diário Regional, feita pelo vereador Cesar Gelsi, de São José do Rio Preto. O jornalista publicou matérias que denunciaram que o político devia impostos à Prefeitura.

A entidade condenou os episódios, considerados cerceamento do trabalho da imprensa. “Esses que perseguem e ameaçam jornalistas no exercício da profissão, muitas vezes levantam suas vozes pela liberdade de expressão. Mas quando se sentem prejudicados, atacam de forma covarde com ameaças e ou proibição do exercício da profissão. Nós vamos combater essas arbitrariedades e exigir retratação”, destacou José Eduardo, secretário do SJSP.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos