texas-moody

Cinegrafista e líder comunitário é assassinado no sudeste da Guatemala

Felipe David Munguía Jiménez, cinegrafista do Canal 21 e líder comunitário, foi assassinado a tiros por um assassino de aluguel na região de Jalapa, no  sudeste da Guatemala, em 4 de setembro.

Munguía saia de uma reunião comunitária no município de Santa María Xalapán quando foi assassinado com um tiro na cabeça, segundo o Centro de Reportes Informativos sobre Guatemala (Cerigua). Já a Prensa Libre relatou que Munguía foi assassinado após o fim de uma atividade esportiva e não uma reunião comunitária.

Cerigua disse que Munguía trabalhou por mais de dois anos no Canal 21, que informa sobre notícias locais "incluindo os conflitos relacionados à energia elétrica".

A organização também relatou que um familiar de Munguía disse aos investigadores que o jornalista teve problemas com membros da comunidade pelo seu desempenho como líder e que tinha sido ameaçado de morte em 3 de setembro. No entanto, também foi dito que no dia 4 de setembro Munguía teve uma discussão acalorada com outros líderes comunitários relacionada ao seu trabalho como jornalista.

Segundo Cerigua, um membro da Associação de Jornalistas de Jalapa disse que alguns participantes do evento, onde a comunidade aparentemente discutia sobre cortes elétricos, se incomodaram porque Munguía tirou fotos.

Cecilia Aguirre, assistente da Procuradoria de Direitos Humanos de Jalapa, disse que a investigação do assassinato deve determinar se a profissão de jornalista de Munguía foi a causa do crime, publicou Prensa Libre.

Foi detido um homem como suspeito do assassinato, que esteve oito anos na prisão por outros delitos, segundo a agência EFE.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos