texas-moody

Jornais do mesmo grupo editorial são alvos de atentado com carro-bomba e multa no México

Uma semana após o ataque com um carro-bomba às instalações do jornal Expreso no México, ainda sem que as autoridades tenham identificado os responsáveis, o Conselho Eleitoral distrital sancionou uma multa de 161 mil pesos (cerca de 12 mil dólares) à publicação Conexión Total, do mesmo grupo editorial no estado de Tamaulipas, informou o jornal Hoy Tamaulipas nesta quinta-feira, 29 de março.

A multa foi aplicada porque o veículo recebeu publicidade de um candidato a deputado federal antes de iniciar o período oficial de campanha estabelecido pelo Instituto Federal Eleitoral e colocou anúncios nas ruas com a manchete da revista, na qual aparecia a fotografia do candidato, informou o mesmo periódico.

pena pode ser executada rapidamente, já que, se a publicação não pagar voluntariamente no prazo de 15 dias ou apelar da decisão, o Ministério da Fazenda (a autoridade fiscal no México) pode cobrar a multa por meio de um crédito fiscal, informou a rádio W1420 .

Apesar de ainda ser desconhecida a causa dos ataques recentes com explosivos a dois meios de comunicação em Tamaulipas, um jornalista suspeita que tenham sido atos para intimidar a imprensa antes das eleições gerais em julho, já que nenhum dos veículos atacados costuma informar sobre o crime organizado, disse o comunicador mexicano em condição de anonimato ao Comitê de Proteção para Jornalistas.

"Enquanto o México se prepara para as eleições gerais, as autoridades devem enviar uma mensagem clara no sentido de que não vão tolerar ataques contra instituições democráticas vitais como a imprensa", ressaltou Carlos Lauría, coordenador sênior do programa das Américas do CPJ. "O governo deve investigar os ataques contra Expreso e Televisa de forma exaustiva e processar os responsáveis".

Mais artigos