texas-moody

Liberdade de imprensa sofreu ataques durante o processo eleitoral na Venezuela, diz relatório

O Instituto Imprensa e Sociedade da Venezuela (Ipys Venezuela) registrou 19 incidentes que afetaram a liberdade de imprensa no país no processo da eleição presidencial , realizada no dia 7 de outubro, informou a própria organização em comunicado. Segundo o Ipys Venezuela , esses incidentes ocorreram desde uma semana antes até alguns dias após a votação.

Para o instituto, os números reforçam um cenário de violência no processo eleitoral, durante o qual foram contabilizadas 173 violações da liberdade de imprensa, entre janeiro e setembro de 2012. Em 2011, foram registrados 94 incidentes no ano inteiro.

Segundo o levantamentos, as violações foram de dois tipos: restrição ao acesso dos jornalistas aos locais de votação e uso abusivo do poder estatal, com agressões físicas, ataques cibernéticos, intimidações e ameaças.

Durante a espera pelos resultados oficiais, por exemplo, partidários detonaram fogos de artifício em frente ao canal Globovisión, de forma intimidatória .

A imprensa internacional também teve problemas na cobertura. Por exemplo, o jornalista argentino Jorge Lanata foi detido e interrogado em duas diferentes ocasiões pelo serviço de inteligência da Venezuela.

O Ipys Venezuela pede às autoridades venezuelanas que garantam as condições adequadas para o exercício do jornalismo no país.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos