texas-moody

Policiais agridem jornalista colombiano e apagam registros de sua câmera fotográfica e de seu celular

Por Liliana Honorato

Um jornalista colombiano foi agredido por policiais enquanto cobria um roubo na cidade de Barranquilla, no norte do país, informou o jornal El Espectador.

Após um policial lhe dizer que não acreditava que ele era um jornalista, Ronald Avellaneda, repórter do noticiário Zonacero.info, tentou defender-se quando o policial pegou sua câmera e seu celular e começou a agredi-lo, enquanto mais policiais aproximavam-se para agredi-lo também, reportou o jornal El Universal.

Segundo informou o jornal El Heraldo, embora o jornalista tivesse consigo seu crachá de imprensa, os policiais levaram-no à Unidade de Reação Imediata (URI) -- espécie de delegacia da região --, liberando-o após uma conciliação entre os advogados do jornalista e a polícia. Ainda assim, o material registrado na câmera e no celular do jornalista foi apagado.

A equipe de trabalho do jornalista ainda não sabia o que havia acontecido com ele quando a Federação Colombiana de Jornalistas (Fecolper) denunciou esse grave acontecimento na quarta-feira, 11 de julho, algumas horas após o ocorrido. A Associação de Comunicadores Sociais do Atlântico (ACSA), estado do qual Barranquilla faz parte, protestou e exigiu “respeito à liberdade de imprensa frente às agressões a que são expostos os jornalistas por parte das autoridades”, já que se supõe que estas devem "garantir e proteger os direitos dos cidadãos”.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos