texas-moody

SIP pede que suprema corte peruana esclareça assassinato de jornalista

Por Samantha Badgen

A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP, na sigla em espanhol) pediu hoje à Corte Suprema do Peru para esclarecer o assassinato do jornalista de rádio Alberto Rivera Fernández e julgar os autores intelectuais do crime.

Rivera Fernández, que também era presidente da Federação de Jornalistas de Uyacali, foi assassinado em 2004, um dia depois de revelar em seu programa de rádio os nomes dos funcionários públicos que supostamente estavam envolvidos em atividades ilícitas.

Os autores materiais do assassinato já foram condenados, mas em maio de 2012 Luis Valdés Villacorta, ex-prefeito da província de Coronel Portillo em Ucayali, foi absolvido como suposto autor intelectual do assassinato, junto com Solio Ramírez Garay, ex-gerente da Municipalidade de Coronel Portillo.  Ambos foram mencionados em declarações jornalísticas de Rivera Fernández por supostas implicações em atos de corrupção.

Em 25 de abril a Sala Penal Transitória da Corte Suprema decidirá se confirma ou descarta o recurso de nulidade contra a sentença que absolveu Villacorta e Ramírez Garay.

Claudio Paolillo, presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação da SIP, pediu que “dentro da lei, resolvam com celeridade o recurso de nulidade… com a finalidade que este crime não fique impune”.

A SIP e o Conselho da Imprensa Peruana consideram o caso emblemático para a imprensa do país. As duas organizações estão ativas com missões no lugar do crime, visitas a congressistas e outras autoridades, e campanhas públicas sobre liberdade de imprensa, impunidade e violência contra jornalistas.

A Associação Nacional de Imprensa do Peru já havia expressado preocupação pelos procedimentos legais contra Portillo e Villacorta em 2011.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos