texas-moody

Vários casos de agressão a jornalistas são registrados no Peru em poucos dias

Por Liliana Honorato

Nos últimos dias, diversos casos de agressão contra jornalistas foram registrados em diferentes partes do Peru. No dia 4 de julho, pelo menos cinco jornalistas foram agredidos por policiais enquanto cobriam o primeiro dia de emergência anunciado pelo governo de Cajamarca, no Norte do país, onde têm ocorrido violentos protestos contra a mineração, informou o Instituto Imprensa e Sociedade (IPYS).

No dia seguinte, o Diario La Voz informou que um jornalista havia sido agredido por professores ligados ao Sindicato Único de Trabalhadores da Educação (SUTE), da seção local do Comitê Nacional de Reorganização e Reorientação (Conare) na cidade de Ayacucho. O jornalista Manuel Ventura Mariluz, apresentador de um programa de rádio local, foi golpeado, insultado e ameaçado de morte pelo professores, que estavam em greve, acrescentou a Radio Programas del Perú.

Já na cidade costeira de Huacho, simpatizantes da conselheira regional da Provícia de Cañete agrediram com socos alguns jornalistas que tentaram perguntar sobre a ordem de captura que ela enfrenta, informou o diário La República no dia 5 de julho.

Agressões contra jornalistas infelizmente se tornaram comuns no Peru recentemente. A maioria dos casos ocorre durante manifestações ou é cometida por funcionários públicos.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos