texas-moody

Eleições na Colômbia: novas mídias e velhas preocupações com a liberdade de imprensa

  • Por Guest
  • 4 junho, 2010

Por Dean Graber

Nas eleições presidenciais de domingo, a Colômbia parece ter preferido a continuidade que a mudança ao dar cerca de 47% dos votos a Juan Manuel Santos, ex-ministro da defesa do governo de Álvaro Uribe, que disputará o segundo turno no dia 20 com Antanas Mockus, afirma a BBC. Meios de comunicação do mundo inteiro relataram surpresa com a margem da vitória, afirma o jornal El Tiempo, já que as pesquisas de opinião vinham apontando um empate entre os dois candidatos.

A corrida eleitoral foi marcada pelo uso de redes sociais como Facebook e Twitter, explica o Global Voices Online (veja ainda estes posts). A CNN e o Miami Herald também publicaram matérias sobre o uso dessas ferramentas.

Um dos principais grupos de jornalistas do país, o Círculo de Jornalistas de Bogotá (CPB), acusou o governo federal de ameaçar a liberdade de expressão e impor censura prévia ao impedir a veiculação de matérias, durante as eleições, sobre questões envolvendo ordem pública (como a ocorrência de crimes e o roubo de votos) sem confirmação oficial do governo, relataram a rádio Caracol e a EFE.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos