texas-moody

Em menos de 24 horas, três ataques com explosivos a jornais são registrados no México

Em um mesmo dia, 10 de julho, foram registrados três ataques com explosivos a veículos de comunicação no México, informou a Artigo 19. Na madrugada, uma granada explodiu do lado de fora do prédio do jornal El Norte, na cidade de Monterrey, Norte do país. No início da manhã, o diário El Mañana também foi atacado com explosivos, na cidade fronteiriça de Nuevo Laredo.

Foi o segundo ataque contra o El Mañana em 2012 - e o terceiro desde 2006. A redação do jornal tem sido protegida pelo Exército mexicano. Perto do edifício, foi encontrada uma mensagem de criminosos contra o veículo, segundo o El Universal. Desde 2006, o El Mañana não publica mais notícias sobre o crime organizado, após um ataque com granada e o assassinato de seu diretor editorial, em 2004. Os casos ainda não foram investigados.

À tarde, outro prédio do El Norte foi atacada com uma granada, além de armas de grosso calibre, informou o jornal. Não houve feridos nos ataques.

Desde 2006, ano em que se iniciou a guerra contra o crime organizado, já foram registrados 39 ataques com explosivos contra meios de comunicação no México, segundo a Artigo 19.

O México é considero o país mais perigoso das Américas para os jornalistas. Consulte o mapa dos ataques contra a imprensa mexicana elaborado pelo Centro Knight para o Jornalismo nas Américas.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos