texas-moody

Fotojornalista é assassinado a tiros perto de casa no Equador

Por Liliana Honorato

Um jornalista equatoriano foi assassinado a tiros perto de casa, em El Triunfo, a cerca de 61 quilômetros da cidade de Guayaquil, no dia 1 de junho, informou a ONG Fundamedios.

O fotógrafo independente Byron Baldeón, de 31 anos, havia sido intimado a depor a promotores sobre uma foto de um roubo de televisores, informou a Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP). A investigação, concluída em maio, levou três policiais e dois civis à prisão, acrescentou o El Comercio.

O editor do diário Extra de Guayaquil, veículo no qual as fotos foram publicadas, disse não ser possível dizer se essa foi a razão do assassinato do fotógrafo, segundo a EFE. No entanto, a Repórteres Sem Fronteiras destacou que “não se deve excluir a hipótese de uma represália relacionada diretamente ao caso”.

"A reportagem de Byron Baldeón sobre suposta corrupção policial destaca a vital importância dos jornalismo local e dos potenciais riscos desse trabalho", disse Carlos Lauría, do Comitê para a Proteção dos Jornalistas (CPJ).

Embora o CPJ registre o assassinato de apenas um jornalista no Equador desde 1992, os ataques contra jornalistas e veículos no Equador aumentaram 150% nos últimos quatro anos, segundo relatório especial da Fundamedios de abril. Segundo o levantamento, funcionários públicos são os principais responsáveis pelos ataques.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos