texas-moody

Jornalista colombiano sofre agressão e ameaça de morte no Equador

  • Por Guest
  • 20 agosto, 2012

Por Liliana Honorato

Um jornalista colombiano foi agredido e ameaçado por desconhecidos no Equador depois de publicar uma detalhada reportagem sobre a falta de liberdade de expressão no Equador e a recente decisão do presidente equatoriano Rafael Correa de conceder asilo ao fundador do Wikileaks, Julian Assange, informaram os jornais Hoy e La Hora.

Na quinta-feira, 16 de agosto, o jornalista Orlando Gómez León, editor da seção internacional do diário equatoriano La Hora e correspondente da revista colombiana Semana, contou à organização não governamental Fundamedios que, durante os 15 anos que reside no Equador, nunca teve um problema semelhante e que denunciou o ocorrido ao Ministério Público.

Entretanto, segundo a Rádio Caracol, após esta publicação, o jornalista recebeu várias ameaças de morte por telefone, em ligações que diziam que sua integridade física estaria em risco se “não deixasse de ‘falar mal do país’, referindo-se ao Equador”.

Sobre a complexa relação que o presidente Correa mantém com a imprensa no Equador, Gómez expressou em sua matéria intitulada “Equador e os obstáculos à imprensa”, publicada na revista Semana de sábado, 11 de agosto, que o mandatário “montou um engenhoso aparato para reprimir a liberdade de expressão com a finalidade de controlar os opositores e seguir como o único futuro possível de seu país”.

A Federação Colombiana de Jornalistas (FECOLPER) rechaçou os ataques a León e solicitou ao governo equatoriano investigar o evento e proteger adequadamente o jornalista. Em sua conta no Twitter, a Fundação para a Liberdade de Imprensa (FLIP, na sigla em espanhol) também condenou as ameaças e agressões de que o jornalista foi vítima.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos