texas-moody

2013 foi um dos anos mais violentos para jornalistas mexicanos já registrados, informa novo relatório

  • Por Guest
  • 19 março, 2014

Por Andrew Messamore*

O primeiro ano do presidente Enrique Peña Nieto foi o mais violento para jornalistas mexicanos desde 2007, de acordo com o relatório anual da organização para liberdade de impressão Artigo 19, publicado na última terça-feira, 18 de março.

O relatório registrou 330 agressões violentas contra a imprensa em 2013, um aumento de 59% em relação a 2012. A maioria dos incidentes foram provocados por funcionários públicos, o que contribuiu para tornar 2013 o ano mais violento para jornalistas desde que o presidente Felipe Calderón declarou guerra ao narcotráfico em 2006.

A apresentação do relatório ocorreu após uma manifestação de integrantes do Artigo 19 contra o silenciamento da liberdade de imprensa.

Do total de incidentes registrados pela organização, 146 foram causados por funcionários públicos, 49 por organizações sociais, 39 pelo crime organizado, 30 por indivíduos, e dez por partidos políticos. O relatório também afirma que 10% dos ataques ocorreram contra as instalações dos jornais e 85% foram dirigidos aos próprios jornalistas.

O relatório também destacou a ameaça aos jornalistas nos estados de Veracruz, Cidade do México, e em três estados na região norte do país -- Chihuahua, Coahuila e Tamaulipas. Somente em Veracruz dez jornalistas foram assassinados desde 2011, mais recentemente Gregorio Jimenez, repórter do Notisur e El Liberal del Sur.

A violência também aumentou para os jornalistas que cobrem os protestos na Cidade do México. A Artigo 19 documentou 34 ataques a jornalistas na capital em 2013, o maior número desde 2007, segundo o jornal El País.

O relatório foi publicado apenas dois dias depois que suspeitos não identificados assaltaram a casa do diretor regional da Artigo 19, Darío Ramirez, que contou ao site de notícias Animal Político que os assaltantes foram "muito específicos," roubando documentos, computadores e objetos de valor.

Embora não se saiba se o roubo está diretamente ligado ao trabalho de Ramirez, a Artigo 19 publicou um alerta online afirmando que o incidente é "extremamente preocupante" tendo em vista as agressões enfrentadas por jornalistas mexicanos. Este foi o segundo ato de agressão em uma semana contra um profissional vinculado a uma organização internacional em defesa da liberdade de imprensa no México.

Clique aqui para ler o relatório completo.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos