texas-moody

Ameaça de Bolsonaro de agressão a repórter põe jornalistas em risco, dizem associações de imprensa

A ameaça de violência física do presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, contra um repórter que lhe fez uma pergunta coloca em outro patamar a conflituosa relação que o mandatário mantém com a imprensa desde antes de se tornar presidente. A avaliação é de entidades de defesa da liberdade de imprensa no Brasil.

Pergunta que motivou ameaça de agressão de Bolsonaro a repórter foi reproduzida nas redes sociais

Pergunta que motivou ameaça de agressão de Bolsonaro a repórter foi reproduzida nas redes sociais. Charge: Laerte Coutinho

Neste domingo (23/08), Bolsonaro disse que “minha vontade é encher tua boca com uma porrada” a um repórter do jornal O Globo que acompanhava a visita do presidente à Catedral de Brasília. O jornalista havia perguntado sobre uma investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro que teria identificado depósitos suspeitos de R$ 89 mil na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

“Infelizmente, as falas brutais e irresponsáveis de Jair Bolsonaro podem incentivar e legitimar agressões de seus militantes contra repórteres, como nos casos do fotógrafo empurrado de uma escada por militantes em Brasília e o ccinegrafista que teve o dedo quebrado por um apoiador de Bolsonaro em Minas Gerais,” disse o presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Marcelo Träsel, à LatAm Journalism Review.

Abraji, Artigo 19, Conectas Direitos Humanos, Observatório da Liberdade de Imprensa da OAB e Repórteres sem Fronteiras condenaram a fala do presidente em nota e cobraram uma reação dos poderes Legislativo e Judiciário.

“Tal comportamento inadmissível por parte de um presidente da República deveria ser condenado por todas as instituições e cidadãos comprometidos com a estabilidade e o progresso do Brasil. As organizações abaixo assinadas esperam sobretudo dos líderes dos Poderes Legislativo e Judiciário uma reação contundente contra mais essa atitude violenta e irresponsável de Jair Bolsonaro,” diz a nota.

Já a presidente da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Maria José Braga, lembrou que de janeiro a junho deste ano, a organização contabiliza 245 ataques do presidente a jornalistas

“A declaração de hoje, além de grosseira e desrespeitosa, é mais uma tentativa de intimidação à imprensa. E, como tem acontecido com frequência, é uma forma de incentivo para que seus seguidores também agridam e ameacem profissionais,” disse Braga à LJR.

Jornalistas repetem pergunta nas redes sociais

Após a ameaça de agressão de Bolsonaro, a pergunta feita pelo repórter feita pelo repórter do Globo ao presidente viralizou nas redes sociais. “Presidente @jairbolsonaro, por que sua esposa, Michelle, recebeu R$ 89 mil de Fabrício Queiroz?”

Mais artigos