texas-moody

Júlio Lubianco

Júlio Lubianco studied journalism at Universidade Federal Fluminense (UFF). He began his career on the local desk at Jornal do Brasil, in 2003. He was a reporter, assignment editor and managing editor at Rádio CBN. He has a Master’s degree in media and communication from the London School of Economics (LSE), with a scholarship from the Journalists of Vision program. He is a professor of journalism at PUC-Rio. He won the Imprensa Embratel award in 2007, the Alexandre Adler award in 2008, and is a two-time winner of the Tim Lopes Award for Investigative Journalism, in 2009 and 2014.

Júlio Lubianco estudió periodismo en la Universidad Federal Fluminense (UFF). Comenzó la carrera en 2003, en el diario Jornal do Brasil. Fue reportero, editor y editor ejecutivo en Rádio CBN. Hizo su maestría en medios de comunicación en London School of Economics (LSE), becado por el programa Jornalistas de Visão. Es profesor del curso de periodismo de PUC-Rio y es presentador del podcast de BRIO, que trata sobre periodismo, carrera, mercado y tecnología. Ganó los premios Imprensa Embratel (2007), Alexandre Adler (2008), y en dos oportunidades el Tim Lopes de Periodismo Investigativo (2009 y 2014).

Júlio Lubianco estudou jornalismo na Universidade Federal Fluminense (UFF). Começou a carreira em 2003, no caderno Cidade do Jornal do Brasil. Foi repórter, chefe de reportagem e gerente de jornalismo na Rádio CBN. Fez mestrado em mídia e comunicação na London School of Economics (LSE), com bolsa do programa Jornalistas de Visão. É professor do curso de jornalismo da PUC-Rio e apresenta o podcast do BRIO, que discute jornalismo, carreira, mercado e tecnologia. Venceu os prêmios Imprensa Embratel, em 2007, o Alexandre Adler, em 2008, e duas vezes o Tim Lopes de Jornalismo Investigativo, em 2009 e 2014.

Artigos recentes

Fiquem Sabendo Lei de Acesso à Informação Jornalismo

Como uma agência de jornalismo especializada na Lei de Acesso à Informação conseguiu liberar 27 anos de pagamentos de pensões no Brasil

Setenta reportagens e ainda contando. Este é o principal resultado de uma luta travada desde 2017, e ainda em andamento, pela divulgação da totalidade dos pagamentos de aposentadorias e pensões do governo brasileiro. Na linha de frente está a Fiquem Sabendo, agência de jornalismo especializada na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Confiança nos meios é menor na América Latina na comparação com a média mundial. Arte: LJR

Em meio à pandemia de COVID-19, confiança no noticiário cresce, mas fica abaixo da média mundial na América Latina

Globalmente, a confiança nas notícias cresceu 6 pontos percentuais e atingiu 44%, segundo o Digital News Report 2021, do Instituto Reuters. Nos seis países da América Latina investigados, no entanto, a confiança geral nas notícias é menor e atinge uma média de 40,5%. Na região, a confiança é menor na Argentina e no Chile (36%) e maior no Brasil (54%).

Alex Silveira: 21 anos em busca de justiça por ter ficado cego de um olho após ser atingido por uma bala de borracha disparada pela polícia de São Paulo. Foto: Sergio Silva/Ponte Jornalismo

Jornalistas que perderam a visão após serem feridos na cobertura de protestos enfrentam longas batalhas judiciais

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal do Brasil reconheceu o direito à indenização de um fotojornalista que ficou cego após ser atingido por uma bala de borracha há 21 anos. A sentença potencialmente abre as portas para que outros jornalistas feridos em situações semelhantes também tenham reconhecido o seu direito.

Deserto (vermelho), semideserto (bege), semibosque (amarelo) e bosque (verde)

Desertos e semidesertos de notícias ocupam três quartos da Argentina e atingem um terço da população

Seis milhões e 600 mil argentinos, equivalente a 16,7% da população, vivem em localidades onde não há nenhum veículo independente de imprensa, ou seja, em desertos de notícias, segundo estudo da Fopea.

captions

Parte 3 do glossário LJR de expressões jornalísticas mostra os bastidores de vazamentos, balões de ensaio e mais

A terceira edição do glossário de expressões jornalísticas da LJR traz palavras e termos como bastidor, trascendió, vazamento, leak, filtración; balão de ensaio, borrego e rowback, entre outras

Ataques a jornalistas cresceram 41% em 2020 na Argentina e estão mais espalhados pelo país, indica monitoramento do Fopea

Depois de dois anos de relativa estabilidade, os ataques a jornalistas deram um salto de 41% na Argentina no ano passado e chegaram a 82. Em 2019, haviam sido registrados 58 ataques enquanto 2018 contou com 51. Os dados são do Informe del Monitoreo de Libertad de Expresión 2020, do Foro de Jornalistas Argentinos (Fopea, na sigla em espanhol).

Quem tem razão? Em disputa por mercado nacional, os dois principais jornais brasileiros se proclamam ‘os mais lidos’

Os dois maiores jornais do Brasil estão em disputa aberta pela liderança do mercado e ambos se autodeterminam líderes, mas usam critérios e números diferentes para chegarem a essa conclusão.

A partir da esquerda, em cima: Patricia Campos Mello (Folha de S. Paulo - Brasil), Luz Mely Reyes (Efecto Cocuyo - Venezuela, Carlos Dada (El Faro - El Salvador). Embaixo: Adela Navarro (Semanario ZETA - México) e Carlos Fernando Chamorro (Confidencial - Nicarágua).

Multas milionárias, acusações de terrorismo e ‘sábados de bullying’: o assédio contra jornalistas na América Latina

O assédio de governos contra o jornalismo tem se convertido numa tendência em países da América Latina, com governantes usando em muitos casos a força das instituições do Estado, como a Justiça e a polícia, para desacreditar e até mesmo calar a imprensa.

Rosental Alves e Javier Moreno no 14º Colóquio Ibero-Americano de Jornalismo Digital

Pandemia aproximou leitores e jornais, diz diretor de redação de El País

O jornalista espanhol Javier Moreno, atualmente diretor de redação do jornal El País, abriu a 14ª edição do Colóquio Ibero-Americano de Jornalismo Digital. Numa conversa com Rosental Alves, diretor e fundador do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, Moreno falou sobre o primeiro ano de funcionamento do paywall no jornal e do impacto da pandemia de COVID-19 no jornalismo. Ele também deu um conselho aos colegas da América Latina: “não se desesperem”.

Mapa mostra situação global da liberdade de imprensa. Fonte: RSF

Países da América Latina perdem posições no ranking mundial de liberdade de imprensa

O ranking mundial de liberdade de imprensa da ONG Repórteres sem Fronteiras (RSF) confirmou uma tendência percebida na América Latina: uma piora geral nas condições para o exercício do jornalismo no continente. Dos 24 países da região analisados, 19 perderam pontos no levantamento da RSF.