texas-moody

Silvia Higuera

Silvia A. Higuera Flórez is a Colombian journalist who has written for the Knight Center since 2012. She is interested in covering Latin American issues and human rights, especially the right to freedom of expression, and investigative journalism. She studied Social Communication and Journalism at Universidad Pontificia Bolivariana in Bucaramanga (Colombia), and received her Master's of Arts in Journalism from the University of Texas at Austin in 2015. She worked with the Office of the Special Rapporteur for Freedom of Expression of the Inter-American Commission on Human Rights (IACHR) under the Orlando Sierra fellowship during 2014. She also worked for the Colombian newspaper Vanguardia Liberal and wrote for different magazines about local, economic and public order issues. Her work has also appeared in The Miami Herald and El Nuevo Herald of Miami. Email: silvia.knightcenter@gmail.com

Silvia A. Higuera Flórez es una periodista colombiana que trabaja para el Centro Knight desde el 2012. Su interés periodístico es América Latina y los derechos humanos, particularmente el derecho a la libertad de expresión, así como el periodismo de investigación. Estudió Comunicación Social – Periodismo en la Universidad Pontificia Bolivariana de Bucaramanga (Colombia), y recibió su maestría en Periodismo en la Universidad de Texas, en Austin en 2015. Trabajó para la Relatoría Especial para la Libertad de Expresión de la Comisión Interamericana de Derechos Humanos (CIDH) en el marco de la beca Orlando Sierra, durante 2014. También hizo parte del diario Vanguardia Liberal y escribió para otras revistas colombianas cubriendo fuentes locales, económicas y judiciales. Algunos de sus trabajos han aparecido en The Miami Herald y El Nuevo Herald de Miami.

Silvia A. Higuera Flórez é uma jornalista colombiana e escreve para o Centro Knight desde 2012. Seu interesse jornalístico é a América Latina e os direitos humanos, nomeadamente o direito à liberdade de expressão. Estudou Comunicação Social – Jornalismo na Universidade Pontifícia Bolivariana de Bucaramanga, na Colômbia e completou seu mestrado em jornalismo na Universidade do Texas em Austin. Silvia trabalhou na Relatoria para a Liberdade de Expressão da CIDH pela bolsa Orlando Sierra, em 2014. Trabalhou para o jornal Vanguardia Liberal e escreveu para outras revistas colombianas cobrindo temas locais, econômicas e judiciárias. Alguns de seus trabalhos apareceram no The Miami Herald e no El Nuevo Herald de Miami.

Recent Articles

Lei contra o tráfico de pessoas afetará finanças da mídia, diz associação de jornalistas da Bolívia

A Associação Nacional de Imprensa da Bolívia (ANP) denunciou um ataque à liberdade de expressão e um confisco dos recursos financeiros dos meios independentes por meio de uma regulamentação promulgada no dia 6 de fevereiro

ONG equatoriana que defende a liberdade de expressão tem sua conta no Twitter suspensa sem aviso nem justificativa

Na noite de 20 de fevereiro, a conta oficial da Fundamedios foi repentinamente suspensa. A decisão do Twitter foi comunicada à organização por e-mail, no qual foram repassadas informações sobre suspensão de contas, mas sem informar o motivo exato em questão.

Incêndio tira rádio peruana do ar e administrador da emissora culpa prefeito por ataque

O centro de transmissão de uma rádio peruana sofreu um incêndio que deixou a emissora fora do ar, além de causar prejuízos financeiros, informou o portal Ifex. Esse teria sido o segundo atentado em 15 dias contra a Paraíso, de Olmos, no estado de Lambayeque. O administrador da rádio acusa o prefeito da cidade de ter ligação com os casos, acrescentou o portal.

Assassinato de jornalista no Peru levanta debate sobre segurança

No último dia 23 de fevereiro o repórter gráfico do jornal El Comercio, Luis Choy, foi assassinado na porta de sua casa por dois desconhecidos que dispararam três tiros, informou o portal Perú 21. O acontecimento colocou em debate público diferentes aspectos do país, como a segurança dos cidadãos, segurança para jornalistas e também o tipo de cobertura dado aos acontecimentos violentos.

Jornal das Ilhas Malvinas publica falsa entrevista na qual ridiculariza chanceler argentino

O Penguin News, único jornal das Ilhas Malvinas/Falkland, em inglês, publicou uma entrevista falsa com o chanceler argentino Héctor Timerman, logo depois de ele se negar a falar com a publicação, informou o La Nación.

No Peru, Defensoria da União contesta decreto que torna certas informações públicas secretas

A Defensoria Pública do Peru questionou a constitucionalidade de um dos artigos do Decreto Legislativo 1129, por considerar que ele fere o direito constitucional ao acesso à informação pública, informou o La República. O artigo 12 do decreto estabelece que toda informação relacionada à segurança e à defesa nacional tem caráter secreto.

Ex-parlamentar colombiano agride jornalistas física e verbalmente

Dois jornalistas colombianos afirmaram ter sido agredidos física e verbalmente por um ex-parlamentar e familiares dele na presença da polícia, que não teria feito nada para impedir o ataque, informou a Federação Colombiana de Jornalistas (Fecolper). A agressão teria ocorrido em Sincelejo, estado de Sucre, quando os profissionais tentavam cobrir um suposto assalto na casa de Héctor Vergara.

Em Honduras, proposta de lei gera polêmica ao estabelecer órgão regulador da mídia

Uma proposta de lei em Honduras estabelece a criação de um órgão regulador do conteúdo dos meios de comunicação, informou o La Prensa.

Portal de notícias equatoriano acusa governo do país de ser responsável por ataque cibernético que tirou o site do ar

O portal informativo Bananaleaks.com informou em sua conta no Twitter ter sido vítima de uma sabotagem do governo equatoriano, segundo a ONG Fundamedios. de acordo com o jornalista Santiago Villa, porta-voz do portal, no dia 28 de janeiro o site foi atacado por hackers poucas horas depois de ter publicado uma matéria sobre duas supostas contas bancárias do presidente Rafael Correa na Suíça, acrescentou a Fundamedios.

Rafael Correa diz que a imprensa é a “grande perdedora” do processo que o reelegeu presidente do Equador

O presidente reeleito do Equador, Rafael Correa, apontou a imprensa privada como a “grande perdedora” do processo eleitoral do país quando foi perguntado sobre a relação que manterá com ela neste novo período, informou o jornal El Universo. Correa assegurou que vai levar adiante a Lei de Comunicação porque deseja “uma imprensa honesta e responsável. Jamais com censura, mas sim com mais responsabilidade”, acrescentou o diário.