texas-moody

Procuradoria identifica dois suspeitos do assassinato da jornalista Miroslava Breach em Chihuahua

Foi confirmada a identidade de dois dos três suspeitos do assassinato da jornalista mexicana Miroslava Breach Velducea, informou o procurador-geral do estado de Chihuahua, César Augusto Peniche, segundo o jornal mexicano La Jornada.

O procurador declarou perante a Comissão especial da Câmara dos Deputados que monitoram as agressões a jornalistas que um dos identificados é o motorista do carro que levava o assassino à casa de Breach. A segunda pessoa confirmada, disse o procurador, é quem escreveu a mensagem da cartolina deixada na cena do crime, segundo publicou o La Jornada.

Breach Velducea foi assassinada na manhã do dia 23 de março, após levar pelo menos quatro tiros na cabeça e no corpo, enquanto estava em seu carro, na frente de sua casa.

A jornalista, de mais de 20 anos de experiência profissional, colaborava com diversos meios do país. Principalmente, era correspondente em Chihuahua do jornal La Jornada e do Norte de Ciudad Juárez.

O registro das câmeras de segurança encontradas perto da casa da jornalista ajudaram a identificar a marca, o modelo e o ano do veículo dos agressores, informou Peniche, de acordo com o El Diario de Ciudad Juárez.

Segundo El Diario de Ciudad Juárezem uma busca realizada no domicílio do condutor do veículo implicado no assassinato teriam sido encontradas evidências relacionadas à mensagem escrita que os assassinos deixaram. Também foram encontrados "documentos eletrônicos com informações importantes para o desenvolvimento da investigação", disse Peniche.

“Falta determinar quem ordenou a execução e quem puxou o gatilho. Vamos capturar os responsáveis”, declarou o procurador, segundo o La Jornada.

A mensagem escrita deixada pelos agressores após assassinar a jornalista dizia: “Por ser 'linguaruda'. Os próximos serão os aliados do governador e o governador. Os 80", publicou o La Jornada.

“El 80” é um grupo de crime organizado relacionado ao cartel de Juárez, e Carlos Arturo Quintana seria seu líder, segundo as autoridades de Chihuahua. De acordo com o La Jornada, este grupo domina a zona ocidental do estado.

A deputada do PAN Brenda Velázquez Valdez, que presidiu a comissão perante a qual Peniche apresentou as novas informações das investigações sobre o assassinato de Breach, pediu ao Governo Federal para que garanta a segurança e a integridade dos jornalistas, publicou o El Diario de Ciudad Juárez.

Velázquez também pediu ao Governo que na próxima proposta de orçamento da federação se destinem recursos necessários para facilitar o funcionamento do mecanismo de proteção a jornalistas.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos