texas-moody

Um dia depois de escapar de atentado, jornalista é morto a tiros no Equador

Um jornalista equatoriano foi morto a tiros na cidade de Guayaquil (costa do país) na noite de 11 de abril, informou a EFE. Fausto Guido Valdiviezo Moscoso, de 52 anos, estava em seu carro quando, segundo testemunhas, um grupo de homens encapuzados disparou contra ele, acrescentou a agência.

O jornalista chegou a ser hospitalizado, mas não resistiu, de acordo com o Comercio.

Na noite anterior ao crime, o jornalista já teria sofrido uma tentativa de ataque, mas o cado não chegou ao conhecimento da polícia, informou o El Universo. De acordo com o jornal, os policias teriam pistas dos assassinos.

Valdiviezo tinha 29 anos de experiência jornalística em  TV, destacou o portal do canal Ecuavisa. Atualmente, trabalhava como assessora de comunicação e iria estrear no canal Teleamazonas como apresentador do programa ‘Lo sabe, no lo sabe’, informou o El Universo.

Repórteres Sem Fronteiras (RSF) lembrou que na região de Guayaquil também foi assassinado em 2012 o jornalista Byron Baldeón. Com a morte de Valdiviezo chegou a 10 o número de jornalistas mortos no continente americano desde o início do ano. Pelo menos três casos tem relação com a atuação profissional das vítimas, destacou a RSF.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos