texas-moody

Gênero e Diversidade

Journalists Esteban Hernández, Geo González, Carolina Vila-Nova and Daniel Villatoro at the 2nd Conference on Diversity in Journalism

Para abrir caminho para questões LGBTQ+ e de gênero, 'conversas desconfortáveis' precisam acontecer, dizem jornalistas na Conferência sobre Diversidade

Para que mulheres e pessoas LGBTQ+ tenham mais presença na agenda editorial e em posições de poder nos meios de comunicação, jornalistas precisam ter 'conversas desconfortáveis' com colegas, gestores e consigo mesmos, disseram Geo González (México), Carolina Vila-Nova (Brasil), Daniel Villatoro (Guatemala) e Esteban Hernández (Colômbia).

cuarto panel conferencia diversidad

No jornalismo, falar a verdade é também mostrar as diferenças, dizem panelistas da segunda conferência sobre diversidade do Centro Knight

No quarto painel da Segunda Conferência Latino-Americana sobre Diversidade no Jornalismo, foram apresentados produtos e iniciativas de fomento à diversidade, equidade e inclusão (DEI) no jornalismo latino-americano. Segundo os panelistas, a diversidade pode ser promovida tanto desde meios tradicionais como dos independentes, desde que seja algo feito com rigor.

As histórias das populações indígenas e negras da América Latina devem ser contadas com suas próprias vozes, dizem jornalistas em painel sobre Diversidade

Dadas as narrativas de ódio e a invisibilidade sofrida pelas comunidades indígenas, afrodescendentes e negras na América Latina, os jornalistas devem dar voz a elas, conhecer suas realidades e evitar sua revitimização, disseram Diana Manzo, Indhira Suero e Edilma Prada, membros do primeiro painel da 2ª Conferência Latino-Americana sobre Diversidade no Jornalismo.

Session de Cierre 2a Conferencia Latinoamericana sobre Diversidad en el Periodismo

E agora, o que fazer? Algumas ideias para impulsionar a diversidade no jornalismo na América Latina

A sessão de encerramento da Segunda Conferência Latino-Americana sobre Diversidade no Jornalismo fez um balanço das ideias discutidas durante o evento e plantou a semente de criação de uma futura organização continental para promover os conceitos de diversidade, equidade e inclusão no jornalismo na América Latina.

O impacto humano da falta de diversidade nas redações brasileiras

No Brasil, onde 43,2% da população se identifica como branca e 55,7% como negra, as redações são compostas por 77% de funcionários brancos. Pesquisa constatou os efeitos da falta de diversidade na produção de notícias e nos próprios jornalistas.

Women in Paraguay holding protest signs, cameras and microphones pointed towards them, night time

Jornalistas paraguaias denunciam assédio sexual e moral no Grupo Albavisión

O Sindicato de Jornalistas do Paraguai e coletivos de imprensa defendem os direitos das jornalistas e trabalhadoras de meios de comunicação no país de denunciar o assédio na redação e de não ser demitidas como resultado, como aconteceu recentemente.

Woman holding a megaphone

Universidade mexicana oferece formação em jornalismo investigativo com perspectiva de gênero

Investigações jornalísticas frequentemente desvelam ilegalidades e injustiças e contribuem para a garantia e o acesso a direitos. No caso das desigualdades de gênero, o jornalismo investigativo também tem um papel crucial. Uma universidade no México busca suprir a lacuna da formação neste tema por meio de um curso online em jornalismo investigativo com perspectiva de gênero.

LGBT pride flag

Dicas para uma cobertura mais responsável da pauta LGBTI+ no Brasil

O movimento para dar mais enfoque e ampliar a visibilidade das questões LGBTI+ é importante, mas são necessários cuidados para não reproduzir desinformação ou estigmatizar grupos que foram historicamente vulnerabilizados e silenciados. Camilla Figueiredo, cofundadora da organização independente e sem fins lucrativos Agência Diadorim, no Brasil, fala sobre as melhores práticas na produção de conteúdos e na busca por fontes especializadas sobre a temática.

Woman speaking at a megaphone during feminist march

Como o movimento 'Ni una menos' foi um divisor de águas na cobertura de questões de gênero na Argentina

O movimento social criado em 2015 a partir de um caso de feminicídio que chocou a Argentina causou mudanças profundas também no jornalismo no país: foram criadas “editorias de gênero” em vários meios jornalísticos e a abordagem de temas relacionados a diversidade, equidade e inclusão se fortaleceu.

Woman holding her head down

Mulheres jornalistas em contextos autoritários enfrentam desafios diferentes de seus colegas homens no exercício da profissão

Mulheres jornalistas em Cuba, Venezuela, Nicarágua e El Salvador devem enfrentar comentários misóginos, ameaças à sua integridade física e seu ambiente familiar e violações de sua privacidade. Nesta artigo, mostramos as experiências de mulheres que exerceram o jornalismo nesses países.