texas-moody

Dois filhos de jornalistas mexicanos são assassinados a tiros

Por Alejandro Martínez

Dois filhos de um casal de jornalistas mexicanos foram assassinados a tiros na cidade de Chihuahua na madrugada de domingo, 5 de maio, reportou a agência EFE.

Os jovens, Alfredo David e Diego Alejandro Páramo González de 20 e 21 anos, foram atacados por um grupo enquanto dirigiam seu carro por uma zona residencial, informou a revista Proceso.

Segundo o jornal El Universal, as vítimas eram filhos dos jornalistas Martha Nicholson e David Páramo, editora do jornal El Peso de Chihuahua e jornalista de economia na capital do país, respectivamente.

Poucas horas depois do crime, tanto as autoridades do estado quanto do país asseguraram que o crime teve relação com a atividade jornalística dos pais das vítimas. A Proceso acrescentou que as autoridades não ofereceram explicações de por que consideram a profissão de Nicholson e Páramo um motivo para o ataque.

O assassinato ocorreu dois dias depois do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, quando várias organizações discutiram as precárias condições de trabalho dos jornalistas mexicanos atualmente.

Segundo um relatório da Freedom House, o México foi qualificado como um país "não livre" para o exercício do jornalismo. Segundo o Comitê para a Proteção de Jornalistas, o México sofre também um dos índices de impunidade mais altos do continente, com 15 homicícios de jornalistas sem solução, e a autocensura em ascenção.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog de jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos