texas-moody

Dois jornalistas mexicanos são assassinados nas regiões de Puebla e Oaxaca

Aurelio Cabrera Campos, diretor do semanário El Gráfico no estado de Puebla, no México, foi assassinado a tiros na noite de setembro enquanto dirigia na estrada de Huauchinango.

As autoridades chegaram ao local do crime depois de receber um telefonema anônimo, relatou o Proceso. Cabrera morreu horas depois de chegar ao hospital.

El Gráfico, publicação que foi criada recentemente, se dedicava a cobrir abusos policiais no norte de Puebla, segundo o Proceso.

El Universal publicou que aumentou “a violência vinculada ao narcotráfico e a quadrilhas de roubo de combustível” na região.

De acordo com Ángulo 7, Pablo Estrada Hernández, diretor do jornal El Caminante e colega de Cabrera, disse que seu amigo havia recebido ameaças. Hernández acredita que o motivo do assassinato pode estar relacionado a uma reportagem que tenha incomodado alguém ou a uma informação sobre alguma quadrilha.

Anteriormente, Cabrera tinha trabalhado com reportagens policiais para o La Voz de la Sierra e depois para o El Caminante, segundo Hernández. O jornalista disse que Cabrera começou seu novo projeto seis meses atrás e que “era muito aguerrido, muito conhecido e bastante profissional”, publicou Ángulo 7.

A Procuradoria Geral do Estado informou ter iniciado as investigações do assassinato em colaboração com o procurador especial para Atenção aos Delitos cometidos contra a Liberdade de Expressão da Procuradoria Geral da República, Ricardo Nájera Herrera, segundo El Universal.

A Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) condenou o crime e pediu medidas cautelares para a sua família. A comissão também deu início a ações sobre o caso.

Outro comunicador, Agustín Pavia Pavia, foi assassinado em 12 de setembro em Oaxaca. Segundo a imprensa local, Pavia era advogado, dirigente político e candidato a funcionário público da cidade de Huajuapan de León.

O site de notícias Despertar de Oaxaca disse que Pavia era apresentador da rádio comunitária Tu Un Ñuu Savi. Segundo a Artículo 19 México, outro apresentador de rádio, Salvador Olmos García, morreu em 26 de junho após ser atropelado por um carro da polícia.

Vía Twitter, a Artículo 19 México instou as autoridades de Puebla e Oaxaca a investigar os assassinatos de Cabrera e Pavia para determinar se o trabalho jornalístico foi o motivo das mortes.

Nota do editor: Essa história foi publicada originalmente no blog Jornalismo nas Américas do Centro Knight, o predecessor do LatAm Journalism Review.

Mais artigos